Blog

Cinco fatos sobre o SENAI CIMATEC

Numa época em que tanto se fala em inovação, empreendedorismo, desenvolvimento tecnológico e tecnologias disruptivas, a gente fica a se perguntar: o que tem acontecido de novo que nos motive a acreditar no protagonismo do Brasil?

Seria o SENAI CIMATEC uma dessas novidades?

Pois você está convidado a refletir sobre isso, conhecendo cinco fatos interessantes sobre o CIMATEC.

 

 

 

 

Nascido para Inovar

O primeiro fato sobre o SENAI CIMATEC trata do início de tudo. O então Projeto NIMATech (Núcleo de Tecnologias em Integração em Manufatura) surgiu justamente a partir de um desafio: o que fazer de novo para transformar o setor metalomecânico da Bahia no final da década de 1990?

O Projeto NIMATech cresceu a partir da necessidade específica de haver um núcleo de tecnologias de fabricação mecânica no estado. Desde então, a premissa básica já era aderência total às necessidades do mercado. 

O Mais Próximo da Indústria

Ao longo dos quatro anos de sua concepção, o Projeto NIMATech foi se transformando em algo bem mais complexo e inovador. Buscava-se uma ruptura, um redirecionamento na forma como o SENAI atuava nacionalmente até meados dos anos 1990.

Nessa época, a FIEB (Federação das Indústrias do Estado da Bahia) estabelecia novos direcionadores estratégicos para o SENAI na Bahia, que buscava uma relação diferenciada com o setor produtivo industrial, mais próxima e atenta às suas demandas concretas.

No entanto, as unidades SENAI em todo o país, em geral, respeitavam o modelo então estabelecido, que direcionava uma estrutura fundamentalmente dedicada a um setor industrial específico.

Pouco tempo após ser efetivamente criado, em 2000, o NIMATech mudou de nome e passou a se chamar CIMATEC (Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia). Já era um modelo de operação diferente e inovador, não apenas em relação às demais unidades do SENAI, mas considerando, inclusive, quaisquer instituições de ensino e/ou ciência e tecnologia no país e até além.

Então, essa nova proposta apostava numa unidade multicompetências.

Integração Diferenciada

Você sabia que, no acrônimo CIMATEC, a letra mais importante é o I?

No CIMATEC, Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia, a palavra “integração” sempre teve forte apelo em todos os momentos, da prospecção de novas oportunidades até a entrega de uma solução mais completa à indústria.

Não bastava criar uma unidade multicompetências! Era preciso estabelecer novos e complexos processos de gestão capazes de estabelecer a integração de competências como o pilar mais importante do novo centro.

Esse é um grande diferencial do CIMATEC e sua maior força, capaz de encontrar soluções para problemas complexos em menores prazos e a custos mais atrativos, principalmente para novos negócios.

A capacidade de mobilização do CIMATEC e seu impressionante crescimento ao longo de 17 anos também criaram oportunidades de intercâmbio de projetos com instituições no exterior.

Referência Global

Você sabia que somos uma instituição respeitada no exterior e que atiça a curiosidade aqui e lá fora?

Em 2014, no período da Copa do Mundo de Futebol da FIFA, a Chanceler da Alemanha, Angela Merkel, veio a Salvador assistir a uma partida do seu país.

Ainda que tivesse uma agenda cheia, a Chanceler decidiu incluir um compromisso com a equipe do CIMATEC. O encontro demonstrou a força das parcerias do CIMATEC com diversas instituições da república alemã.

Em dezembro do mesmo ano, ao traçar um panorama geral da pesquisa aplicada na área de petróleo e gás natural, o jornal Financial Times, com sede no Reino Unido, já citava o SENAI CIMATEC como um dos importantes parceiros deste país no Brasil.

Isso mostra como o CIMATEC tem potencial de crescer e de se transformar. Aliás, transformação foi algo que a instituição continuamente viveu nesses 17 anos e isso provoca a quinta e última curiosidade sobre nós.

Um Modelo Pioneiro

Por que se fala por aí que o CIMATEC é uma instituição com características próprias? O que o CIMATEC tem hoje de diferente?

O CIMATEC reúne ações em educação superior e inovação tecnológica em um cenário integrado e fortemente influenciado pela proximidade com o setor industrial.

Isso significa que o estudante está imerso em um ambiente universitário diferenciado, onde pesquisa, inovação tecnológica e empreendedorismo são assuntos que permeiam a rotina.

Ainda hoje, muitos pensam que o CIMATEC repete a receita tradicional do SENAI, uma escola de formação profissional. No entanto, a pesquisa e inovação tecnológica representam quase 70% do orçamento do CIMATEC, mostrando o quão diferente é seu perfil em relação ao padrão então estabelecido até o final da década de 1990.

Aliado a isso, o CIMATEC é uma instituição de ensino superior também bastante peculiar do ponto de vista acadêmico. São poucas as instituições no país e no exterior que possuem comparativamente uma pós-graduação tão forte.

48% dos alunos do CIMATEC em 2018 são da pós-graduação. Somente os alunos de mestrado e doutorado somam quase 10% do total. E o CIMATEC certamente continuará se reinventando nos próximos anos e buscando sempre contribuir com uma educação técnica e superior destacadas e com o crescimento do país a partir do desenvolvimento tecnológico.

Viu só? Contamos só cinco fatos sobre a nossa história, mas ainda temos muito para que você conheça o quanto nós crescemos e nos transformamos, mas, principalmente, o quanto ainda vamos mudar o mundo!

0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
2 Comentários
mais antigo
o mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Alcinei
1 ano atrás

The organization, resourses and Team are simply outstanding

Everalnice Mascarenhas
Everalnice Mascarenhas
1 ano atrás

Parabenizo essa grande instituição! Sinto-me feliz e orgulhosa de estar inserida no corpo docente dos cursos de especialização e MBA’s do SENAI CIMATEC.

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x