:

Blog

Mudança na forma de trabalho com o Building Information Modeling

Bruno Leão de Brito – Consultor Técnico e Coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo SENAI CIMATEC – BA
Cândido Martins Pazos – Consultor Técnico e Professor do SENAI CIMATEC – BA
Juliana Sampaio Álvares – Consultora Técnica e Professora do SENAI CIMATEC – BA

Building Information Modeling X Distanciamento Social

Novas tendências a partir da pandemia são uma necessidade. Todos foram afetados e forçados a implementar o distanciamento social nas suas vidas, e para os profissionais da indústria da construção civil não foi diferente. Novas tecnologias, inovação e trabalho remoto, além de tema recorrente por causa do cenário atual nos grupos de discussão da área, viraram uma obrigação. Porém, como viabilizar essa mudança na forma de trabalho remoto?

O Building Information Modeling ou BIM é um novo paradigma que vem sendo amplamente divulgado no meio da construção civil. Há muito se fala sobre as facilidades do levantamento automático de quantitativos, da geração exata e consistente de desenhos, das correções automáticas de representação e das visualizações mais rápidas de projeto a partir de um modelo 3D, que podem ser alcançadas através dessa tecnologia. No entanto é importante ter em mente que BIM não é só o uso de uma ferramenta ou a criação de um modelo 3D, mas a implementação de uma nova maneira de pensar (HARDIN, 2009). E nada melhor do que o momento que está sendo vivido para termos uma nova maneira de pensar.

As possibilidades que o BIM traz para a gestão da informação da construção permite que decisões sejam tomadas de maneira conjunta entre todos os atores do ciclo de vida de uma construção. Tudo isso embasado pelo trabalho colaborativo que vem a partir dele. Trabalho colaborativo este que pode ser feito presencialmente ou a distância, através da interação com modelos computacionais, verificações a partir de modelos de Realidade Aumentada e Realidade Virtual, checagem automática de interferências e vários outros.

Para ajudar a entender as possibilidades do BIM em tempos de distanciamento social, nesse volume serão apresentados e discutidos conceitos, ferramentas e possibilidades, assim como sua importância para a construção civil.

A Importância do BIM para a Indústria da Construção Civil

Pensando na melhoria de seus processos, a indústria da construção civil vem apostando no desenvolvimento e aplicação de métodos mais eficazes para a concepção de projetos, planejamento e gerenciamento de obras, operação e manutenção de construções. Segundo publicação do Word Economic Forum (2016), que trata sobre a modernização e inserção da indústria da construção civil ao contexto da indústria 4.0, tais métodos envolvem a incorporação de tecnologias digitais, automatização de processos, acesso a grandes volumes de informação, interoperabilidade, troca e gerenciamento de dados em tempo real, de forma a buscar uma produção mais inteligente.

Nesse sentido, o conceito de construção virtual tem sua aplicação no mercado voltada ao BIM, associado à elaboração e gestão de informações a partir de modelos paramétricos 3D. Para alguns dos principais pesquisadores da área, o BIM corresponde ao processo de gestão de informações envolvidas em todas as fases do ciclo de vida da edificação, por meio da utilização de um modelo digital paramétrico que representa as características físicas e funcionais do empreendimento (EASTMAN et. al., 2018). Succar (2009) complementa afirmando que o BIM integra políticas, processos e tecnologias que interagem, gerando uma metodologia para gestão dos dados do edifício em formato digital, ao longo do seu ciclo de vida.

Os modelos BIM possuem informações sobre diferentes aspectos do processo de concepção, construção, operação e manutenção da edificação. Tais informações incluem, por exemplo, representações gráficas 3D e especificações técnicas de projeto, dados sobre o processo construtivo e sobre o planejamento da obra, dados de custo da execução, informações sobre a vida útil e manutenção de sistemas e equipamentos atribuídos às construções (SALEHI; YITMEN, 2018).

A aplicação do BIM no mercado está fortemente associada a uma quebra de paradigma, com o desenvolvimento de uma construção virtual que simula de forma mais fidedigna o empreendimento real, envolvendo antecipação de decisões, incorporação de novos processos de trabalho e novas ferramentas tecnológicas. Todos esses aspectos refletem numa mudança cultural, principalmente nas empresas de projeto e construtoras, e na atuação dos agentes da construção civil.

Apesar dessas mudanças, é importante ressaltar que os benefícios possíveis com a aplicação do BIM são inúmeros, e que estes representam melhorias importantes às atividades do setor. Dentre os benefícios potenciais do BIM, podem ser destacados: melhor compreensão dos projetos; reação rápida a problemas de projeto; potencializa o trabalho colaborativo com interação remota, a partir do uso de ferramentas digitais; torna mais clara a comunicação entre os profissionais envolvidos; otimiza e facilita o processo de compatibilização de projetos, reduzindo conflitos entre disciplinas; agiliza o levantamento de quantitativos; possibilita a simulação da obra com mais propriedade; e contribui para uma gestão da obra com dados mais consistentes (DODGE DATA & ANALYTICS, 2017).

Colaboração BIM em Tempos de Distanciamento Social

As atividades dentro da indústria da construção civil têm como característica uma documentação ainda centralizada nos ambientes físicos de trabalho, o que faz a aplicação do BIM ainda um desafio para escritórios e construtoras do Brasil, especialmente quando se fala de trabalho remoto e descentralizado. Porém, o gerenciamento de documentação e sistemas colaborativos tem avançado na última década, e também podem apresentar vantagens quando falamos de BIM, mesmo com sua maior complexidade de aplicação.

Assim, a indústria da construção civil vem respondendo a essa nova modalidade produtiva descentralizada, porém compartilhada, pertinente e recorrente no atual momento de pandemia e afastamento social. Com adoção de Sistemas de Modelos Colaborativos, capazes de explorar as informações diretamente de modelos BIM, o trabalho migra de um processo fragmentado e desintegrado entre as disciplinas de projeto e os processos de construção, para uma integração multidisciplinar de colaboração (SHAFIQ; MATTHEWS; LOCKLEY, 2013).

Muitas vezes, mesmo usando a paradigma BIM, as equipes responsáveis por cada disciplina do projeto acabam dividindo um mesmo espaço físico de trabalho, porém, é plenamente viável que as atividades de cada colaborador/disciplina do projeto sejam feitas de lugares físicos distintos, pelo acesso compartilhado de um mesmo ambiente virtual. Dentro do contexto de trabalho remoto e distanciamento social, estes Sistemas de Modelos Colaborativos também podem ser adequados ao trabalho em Nuvem, através da rede; permitindo assim, que os responsáveis possam continuar colaborando com as alterações e melhorias no projeto, sem perder a eficiência do BIM.

Diversos desenvolvedores de software já disponibilizam serviços que permitem visualização, edição e compartilhamento de arquivos online. Assim, essa facilidade de trabalho em Nuvem, ainda gera vantagens quanto a otimização de tempo e transparência de informações nos processos, já que qualquer alteração no projeto está disponível para todos e em tempo real na rede (MANZIONE, 2013).

Cabe ressaltar que, é essencial o uso de ferramentas integradoras, a partir de softwares compatíveis às extensões de arquivos trabalhos (formato proprietário ou IFC), obedecendo uma organização/hierarquia de trabalho (RUSCHEL et. al., 2013), para que o processo colaborativo desenvolvimento e gestão das informações do modelo seja eficiente, trabalhando em nuvem ou não.

Ferramentas BIM para Colaboração

A360
O A360 é uma ferramenta da Autodesk que funciona como um ambiente de trabalho colaborativo, trazendo recursos que mantem o projeto no ponto central do desenvolvimento. Essa ferramenta permite visualização 2D e 3D, compartilhamento de arquivos através de links, realizar anotações comentadas, acesso a metadados do modelo e localização inteligente de elementos e armazenamento em Nuvem. Além de plataforma WEB, é possível o acesso também por aplicativos de plataformas móveis. Essa ferramenta é compatível com todas as extensões de softwares da Autodesk.

BIM 360
O BIM 360 é também uma ferramenta da Autodesk, funcionando com uma plataforma unificada que visa conectar as equipes e as informações de projeto com a construção, suportando decisões ao longo das fases de projeto e obra. O sistema do BIM360 permite edição e visualização de modelos BIM alocados em servidor na nuvem, de forma colaborativa e por diferentes intervenientes. Essa ferramenta possibilita o gerenciamento de qualidade, estudos de construtibilidade, coordenação de projetos, colaboração durante a fase de design, análise de dados, entre outros. Essa ferramenta é compatível modelos BIM que apresentem extensão IFC, RVT, entre outros.

BIMx
O BIMx é um software da empresa Graphisoft que permite a apresentação e navegação integrada em projetos BIM e também 2D. O arquivo é disponibilizado para plataformas IOS, Android e Windows, e permite a visualização tridimensional da construção. Além de visualizar os objetos, os usuários da plataforma podem fazer passeios virtuais, tirar medidas, inserir anotações, marcações no modelo BIM, anexar mensagens de texto e fotos, e acessar aos desenhos técnicos sem necessidade de ter o AchiCAD instalado no dispositivo. A plataforma predispõe um importante apoio à equipe de obra, por permitir uma série de facilidades a partir de um dispositivo simples. O modelo é compartilhado pelo ArchiCAD por meio de um link por email, ou por link com serviços de armazenamento em nuvem, como Dropbox e iCloud.

 BIM Track
O BIM Track é uma plataforma online de colaboração, que tem como foco a otimização dos fluxos de trabalho e coordenação de projetos BIM, em servidor na nuvem. Essa ferramenta possui um ambiente no qual os usuários podem gerenciar arquivos e equipes de trabalho interagindo com o modelo BIM, e coordenar correções de projeto vinculadas ao modelo. O BIM Track permite a personalização de configurações com base em níveis de prioridade, zonas de trabalho, ações/correções necessárias, atribuição de responsabilidade e datas de entregas. O BIM Track é compatível com extensão IFC e padrões de arquivo OpenBIM, além de compatibilidade com arquivos gerados no Revit e Navisworks da Autodesk.

 BIMSYNC
O BIMSYNC é um software da empresa Catenda, que funciona como uma ferramenta de colaboração BIM e um servidor de modelos web, permitindo ao usuário armazenar, visualizar e analisar projetos BIM diretamente do navegador. Essa ferramenta possui como funcionalidades a visualização e compartilhamento de modelos BIM 3D e 4D, geração de documentação 2D de projetos a partir do modelo, gestão de arquivos e monitoramento de versões, e anexar informações de arquivos externos ao modelo BIM, como catálogos e imagens. O BIMSYNC tem suporte para todas as extensões de arquivo da buildingSMART (IFC, bSDD, BCF e COBie).

 Augin
O Augin é uma plataforma brasileira gratuita de Realidade Aumentada com foco na construção civil. Essa ferramenta permite uma visualização rápida e imersiva dos mais diversos projetos da construção através de um tablet ou smartphone. Para começar a usar o Augin, basta fazer o upload do projeto na plataforma Augin e acessar o modelo RA através de dispositivos móveis.

Importância do BIM no Cenário do “Novo Normal”

O Novo Normal, o qual estamos presenciando o surgimento, onde o trabalho remoto é uma realidade, faz com que a construção civil, um setor ainda centralizado e preso a aspectos e organizações físicas, de trabalho prioritariamente presencial, tenha que se adaptar para manter a sua produtividade. Nesse contexto, o BIM, a partir da aplicação de ferramentas digitais de trabalho colaborativo, se consolida como uma forte ponte que facilita e possibilita essa adaptação e transição. Isso fica claro quando pensamos em atividades envolvidas nas fases de projeto e pré-obra, mas também minimizando interações presenciais na fase de construção, pela virtualização do compartilhamento e troca de dados.

Independentemente do momento de isolamento social e trabalho remoto impostos pela situação de pandemia causada pelo COVID-19, o paradigma BIM e suas ferramentas trazem inúmeras e consolidadas vantagens e facilidades para o setor da construção civil. Tendo em vista, a associação dos modelos digitais de construções virtuais com todas as informações vinculadas e detalhadas no mesmo (representações gráficas, especificações do projeto, planejamento de obra, custos, manutenção, etc.), evitando incompatibilidades e reduzindo custos e imprevistos na execução.

Mesmo com toda a complexidade que os novos processos de trabalho e o uso de ferramentais BIM possam trazer, já é possível integrar todas as atividades do Ciclo de Vida das construções de maneira remota. As diversas ferramentas e o compartilhamento de documentos armazenados em nuvem permitem que os professionais atuantes em cada disciplina do projeto, aqueles ligados ao planejamento, orçamentação e também execução em canteiros, possam acessar e atualizar o modelo paramétrico e toda a documentação e produtos vinculados, de maneira simples, sem necessidade de coincidirem no mesmo local físico de trabalho, adequando-se ao cenário desse Novo Normal.

O BIM permite sim, auxiliado pelas ferramentas colaborativas vinculadas ao trabalho em nuvem, mesmo no contexto de isolamento e distanciamento social, que o setor da construção civil consiga manter a sua produtividade em muitos processos, entregando às equipes de obra, que de fato ainda necessitam da presença física humana para a execução em canteiro, informações e um resultado de igual, ou até mesmo superior qualidade e eficiência.

Referências

DODGE DATA & ANALYTICS. SmartMarket Report: The Business Value of BIM for Infrastructure 2017. Bedford, 2017. 64 p.

EASTMAN, C.; TEICHOLZ, P.; SACKS, R.; LISTON, K. BIM Handbook – A Guide to Building Information Modeling for Owners, Managers, Designers, Engineers, and Contractors. Wiley Inc., 2014.

HARDIN, B. BIM and Construction Management: proven tools, methods, and workflows. 1 ed. Indiana: Wiley Publishing Inc, 2009.

MANZIONE. Proposição de uma Estrutura Conceitual de Gestão do Processo de Projeto Colaborativo com o uso do BIM. Tese apresentada à Escola Politécnica de São Paulo para obtenção de título de Doutor em Engenharia. São Paulo, 2013.

RUSCHEL, VALENTE, CACERE, QUEIROZ.  O papel das ferramentas BIM de integração e compartilhamento no processo de projeto na indústria da construção civil. REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil, v. 7, n. 3, p. 36-54, 2013.

SALEHI, S. A.; YITMEN, I. Modeling and analysis of the impact of BIM-based field data capturing technologies on automated construction progress monitoring. International Journal of Civil Engineering, v. 16, n. 22, p. 1669-1685, 2018.

SHAFIQ; MATTHEWS; LOCKLEY. A study of BIM collaboration requirements and available features in existing model collaboration systems. ITcon – Journal of Information Technology in Construction, 2013.

SUCCAR, B. Building information modelling framework: A research and delivery foundation for industry stakeholders. Automation in Construction, v. 18, p. 357- 375, 2009.

WORD ECONOMIC FORUM. Shaping the Future of Construction: A Breakthrough in Mindset and Technology. Industry agenda. Genova, 2016. 61 p.

5 3 votes
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x