:

Notícias

Primeira aula de ensino superior no metaverso discute realidade virtual para a indústria automotiva 

O Centro Universitário SENAI CIMATEC foi a primeira Instituição de Ensino Superior a realizar aula no metaverso 

Nesta terça-feira (22), estudantes do Centro Universitário SENAI CIMATEC tiveram uma aula diferente. A primeira aula a ser realizada no metaverso foi conduzida pela Prof.ª Dr.ª a Ingrid Winkler  e teve como tema o “Desenvolvimento de produto no metaverso: reflexões para a indústria automotiva”. 

A atividade fora da sala de aula convencional foi muito além dos cenários das plataformas de videoconferência, que se tornaram exaustivas durante a pandemia. No metaverso, o grupo, formado por professores e estudantes, se reuniu em uma sala virtual personalizado. O espaço escolhido foi no Horizon Workroom, uma plataforma criada pelo Meta (antigo Facebook) para a realização de reuniões com direito a projeção de apresentação e tecnologia de áudio espacial, que garante uma experiência de áudio 360º. 

Na experiência imersiva, professores e alunos criaram os seus avatares – personagens virtuais – que interagiram no ambiente de realidade virtual, onde cada movimento no mundo físico é reproduzido em sincronicidade. 

Equipados com óculos de realidade virtual e sensores de movimento, a Prof.ª Dr.ª Ingrid Winkler, coordenadora do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Gestão e Tecnologia Industrial (GETEC) do Centro Universitário SENAI CIMATEC, e o Profº Dr.Marcus Mendes, do Programa de Pós-graduação Lato Sensu em Design UX & Strategy da mesma instituição, ministraram a aula, que contou com a participação de dois estudantes de graduação e uma estudante de pós-graduação.  

A aula neste novo ambiente é uma aplicação das pesquisas e das discussões realizadas no Centro Universitário SENAI CIMATEC. Para o Prof.º Dr. Marcus Mendes, a realização da aula é um passo importante para a pesquisa e a inovação: 

“A experiência dentro do metaverso foi gratificante porque a gente está vivendo algo inovador.  Do ponto de vista da indústria automotiva, a discussão é a seguinte: é uma extensão da realidade, ou seja, a gente vai transferir os nossos paradigmas para essa realidade? Ou a gente vai realmente rever os paradigmas e pensar em conceitos completamente diferentes?” 

O primeiro passo foi dado e a realização de aulas no metaverso pode se tornar uma tendência. Além de tornar as interações a distância muito mais imersivas, o ambiente permite novas experimentações e pode promover novas conexões com pesquisadores pelo mundo. 

“Os ambientes de realidade virtual abrem um novo horizonte de possibilidades que vão além do entretenimento. Estamos pesquisando como isso pode trazer ganhos para a indústria automotiva, que vão desde aumento da produtividade, redução de custos e até redução da pegada de carbono”, afirmou a idealizadora da aula, Prof.ª Dr.ª Ingrid Winkler. 

SENAI CIMATEC ESTÁ AVANÇADO NAS PESQUISAS SOBRE REALIDADE VIRTUAL 

A estreia no metaverso demonstrou o pioneirismo da instituição baiana, que já realiza pesquisas sobre design, usabilidade e realidade virtual aplicadas a indústria. Com um know-how tecnino-científico e parcerias com instituições estratégicas, o Centro Universitário SENAI CIMATEC já formou um mestre que, a partir de um gêmeo digital, criou um método de teste de usabilidade de produto para a indústria automotiva. 

Fábio Vinicius de Freitas foi o 210º mestre formado pelo Programa de Pós-graduação em Gestão e Tecnologia Industrial, orientado pela Prof.ª Dr.ª Ingrid Winkler e coorientado pelo Prof.º Dr. Marcus Vinicius Mendes. Fábio, que é Engenheiro e Designer de Produto da Ford, replicou um veículo físico na realidade virtual para realizar testes de usabilidade. O objetivo da pesquisa era atestar as vantagens da aplicação de realidade virtual para a realização dos testes, que ainda custam muito caro quando feitos em protótipos físicos. 

 

5 1 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x